Original

Agbook

Original

IGREJA BATISTA

A Igreja Batista Tradicional

Por: Pastor Tiago dos Santos Esteves

Seria injusto de nossa parte não citarmos algumas igrejas (entre as muitas) que nasceram de forma regular, normal, aprovadas por Deus e registradas em Sua Palavra; uma vez que citamos ou fizemos alusão a alguns exemplos das anormais. Entre as igrejas (incluindo a primeira) fundadas pelo Senhor Jesus, organizadas por Paulo, Pedro, Apolo e outros, citaremos:

Como não poderia deixar de ser, a igreja neo-testamentária por excelência é Jerusalém. Depois vem Antioquia e, a seguir, muitas outras Não se tem notícia de uma única igreja organizada através de um sistema irregular, aprovada pelos apóstolos, oriunda de uma destas igrejas neo-testamentárias. Temos conhecimento de problemas nascidos no interior destas igrejas como os citados em Apocalipse capítulos 2 e 3; problemas na Igreja de Corinto; na Igreja dos Gálatas; em Colossos; Filipos; Tessalônica; Beréia e muitos outros problemas. Todos, porém, contornados, solucionados com a presença do Espírito Santo.

Quando havia problemas, chamava-se alguém para solucioná-los. Um concílio era formado, quando o grupo local por si só não conseguia resolvê-los. Jerusalém é o início da trajetória cristã. Mesmo que fosse através das perseguições e, em conseqüência, a dispersão, surgiram as igrejas de Antioquia, Éfeso, Corinto, Macedônia e outras conforme já foram citadas.

Em Antioquia os discípulos foram pela primeira vez chamados cristãos. Atos 5.11 e 26. Sabemos que toda igreja bem nascida possui um ideal missionário; um desejo intenso de buscar o cumprimento das orientações de Deus para o sucesso na Sua causa. Esta igreja (apesar de todas as outras apresentarem boas qualidades) foi escolhida para dar início à obra missionária no mundo de então. Antioquia deu início ao Movimento Missionário.

Lemos em Atos 13.1-3 uma notável e grandiosa orientação para as igrejas da atualidade com respeito aos missionários. A primeira lição encontra-se no versículo 1 Foram selecionados líderes de diversas categorias. Foram alistados e colocados a serviço do Senhor. No versículo 2, entre outras lições, tiramos estas: a) Foram separados os missionários entre os que estavam servindo ao Senhor. Era como se fosse um teste. Somente quem é ativo pode ser usado na obra missionária. b) Entre os que serviam e que tinham sido observados; aqueles oravam e jejuavam; aguardando a confirmação da obra ou da chamada missionária. c) O Espírito Santo comissionou Barnabé e Saulo para uma obra missionária específica e incumbiu a igreja de enviá-los ao campo missionário. No capítulo 3 a obra da igreja foi consumada de acordo com a determinação do Espírito Santo: 1) Jejuando e orando: 2) Consagrando-os com imposição de mãos e; 3) Despediram os dois com toda a autoridade concedida por Deus e pela igreja.

Antioquia passará, a partir desse momento, a ser um referencial missionário para as primeiras igrejas organizadas por esses missionários, que foram: Esmirna (cidade natal de Barnabé) e Pafos (cidade onde Paulo realiza o primeiro milagre ou sinal diante da resistência de Elimas, o mágico) Atos 13.9-13. Isto serve também para nos ensinar a natureza e a missão da igreja do Senhor Jesus aqui na terra.

Não haveria espaço suficiente para todas experiências positivas de nascimentos de igrejas; primeiro, pelas diferenças entre elas. Cada uma igreja é adaptada ao seu meio, raça e momento. Por outro lado, a diversificação das igrejas, bem como a diversidade de seus membros com suas diferenciadas funções, dão-nos a idéia da infinidade de modelos eclesiais fundamentadas no amor de Deus; no sacrifício vicário de Cristo; seguindo suas ordenanças e aguardando a volta gloriosa do Senhor. Estes exemplos perfazem a belíssima história do Cristianismo através dos tempos. Esta nossa palavra é exclusivamente com respeito ao nascimento da congregação local e não das instituições reinterpretadas ao sabor dos seres humanos. A igreja é de Deus. A Interpretação, a Iluminação, a Revelação pertencem também a Deus, na pessoa do Espírito Santo.

Os gloriosos exemplos citados não impediram que surgissem, através dos tempos, inúmeros partos eclesiásticos de risco. Não impediram também os copiosos fracassos dos irmãos negligentes. Como Não se pensou ainda em investigar o nascimento de uma igreja batista, por não sermos uma Denominação Batista que, reunida, perfaz a Igreja Batista, não somos a Igreja como denominação batista e sim como congregação local; e entendemos que biblicamente estamos corretos. Ficará ainda para outras gerações de batistas descobrirem um meio de coibirem estes nascimentos irregulares.

Mesmo não sabendo se todos os tipos fracassados de organização de igrejas visíveis nos dias de hoje são oriundos de um nascimento normal ou anormal, reconhecemos três tipos de igreja:

Igrejas vazias; igrejas cheias de pessoas vazias e igrejas cheias de pessoas cheias.

Selos de reconhecimento

Impresso
De R$ 39.97 por:
R$ 36,29

Ebook (PDF)
R$ 9,69

Tema: Vida Cristã, Teologia, Religião Palavras-chave: -, denominação, identidade, igreja, tradição

Características

Número de páginas: 259
Edição: 1(2017)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.