Agbook

THEAETETUS

DOS DIÁLOGOS DE PLATÃO

Por: ADEILSON NOGUEIRA

Alguns diálogos de Platão são de um caráter tão diverso que sua relação com os outros diálogos não pode ser determinada com qualquer grau de certeza. O Theaetetus, como o Parmênides, tem pontos de semelhança tanto com seu anterior e seus últimos escritos. A perfeição do estilo, o humor, o dramatismo, a complexidade da estrutura, a fertilidade da ilustração, o deslocamento dos pontos de vista são características de seu melhor período de autoria. A busca vã, a conclusão negativa, a figura das parteiras, a constante profissão de ignorância por parte de Sócrates também trazem o selo dos primeiros diálogos, nos quais o Sócrates original ainda não está platonizado. Se não tivéssemos outras indicações, deveríamos estar dispostos a dividir o Theteteus com a Apologia e o Fedro, e talvez até com os Protágoras e os Laches.

Mas quando passamos do estilo para um exame do assunto, rastreamos uma conexão com o mais tarde, em vez de com os diálogos anteriores. Em primeiro lugar, há a conexão, indicada pelo próprio Platão no final do diálogo, com o sofista, ao qual, em muitos aspectos, o Thetete é tão pouco afim.

(1) As mesmas pessoas reaparecem, incluindo o Sócrates mais novo, cujo o nome é mencionado apenas no Thetete;

(2) a teoria do repouso, que Sócrates se recusou a considerar, é retomada pelo Estranho Eleático;

(3) há uma alusão semelhante em ambos os diálogos ao encontro de Parmênides e Sócrates; E

(4) a investigação sobre o não-estar no sofista complementa a questão da falsa opinião que é levantada no Theaetetus. Em segundo lugar, a data posterior do diálogo é confirmada pela ausência da doutrina da lembrança e de qualquer doutrina das idéias, exceto aquela que as deriva da generalização e da reflexão do pensamento. A mente sobre si mesma. O caráter geral do Theaetetus é dialético, e há traços das mesmas influências Megar que aparecem no Parmênides, e que os escritores posteriores, em sua matéria de fato, explicaram pela residência de Platão em Megara. Sócrates rejeita o caráter de erístico profissional, e também, com uma espécie de admiração irônica, expressa sua incapacidade de alcançar a precisão megariana no uso dos termos. No entanto, ele também emprega uma habilidade sofisticada semelhante em derrubar toda a teoria concebível do conhecimento.

Impresso
R$ 67,76

Ebook (PDF)
R$ 25,83

Tema: Metafísica, Ética E Filosofia Moral, Bem & Mal, Hermenêutica, Filosofia, Didáticos Palavras-chave: filosofia, platÃo, sÓcrates

Características

Número de páginas: 202
Edição: 1(2017)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.