Agbook

KALEIDOSCÓPIO 2

MATRIZES E VERSÕES - POEMA-PROCESSO

Por: OSCAR KELLNER NETO

Oscar Kellner Neto se supera a cada ciclo de criação, em cada VER/são poético-visual, fiel que é ao poema processo quando já não se fala nem se admite mais rótulos de gênero ou classificações que pouco ou nada falam ao leitorado contemporâneo.

Contudo, justiça seja feita – e bem feita! – o poeta é merecedor de ampla visibilidade pós-moderna com o reconhecimento mais amplo possível de sua produção ao longo de 4 décadas, superando nesse interregno “estilos de época” que vão do concretismo, pós-concretismo, poesia visual ao poema processo.

Entre outros que mantiveram essa produção coerente devem ser incluídos Erthos Albino de Souza, Philadelpho Menezes, Almandrade, Hugo Pontes, Joaquim Branco, Sebastião Nunes, Anchieta Fernandes, o próprio WDP, entre outros, e, em nível teórico, Jorge Luiz Antonio, por seu trabalho totalizante em função da poesia eletrônico-digital, Paulo Franchetti e Antonio Cícero – por exemplo.

Nesta série com VER/sões a cores, com elementos compósitos recorrentes às vanguardas históricas, poéticas e pictóricas, agregadas aos recursos virtuais do computador; leituras lúdicas, geométricas, fractais, estéticas, experimentais, livres e às vezes figurativas, em que os títulos são as chaves-léxicas e funcionam como matrizes de opções criativas para a opticalização do leitor/consumidor, toda ela (a série) sob o impacto da mutação contínua, em que o poema é fração, auto-superando-se e aberto ao experimento nas linguagens. Ou, com taxionomia de Philadelpho Menezes, a série exemplifica a organicidade gráfico-estatística por substituição sígnica (Menezes, 1991, p.70) e, acrescentaria, por aglutinação, justaposição, exaustão e VER/sões plástico-virtuais.

Oscar Kellner Neto manteve ao longo de sua trajetória poética a intenção de não apenas provocar o leitorado para o inusitado, o novo, como contribui, ainda hoje, para a consciência crítica de uma didEYEtica das vanguardas, mormente do poema processo. Seu trabalho, por isso, tem implícito um caráter pedagógico de ampla importância para que se (re)conheça nas vanguardas a evolução poética universal.

MÁRCIO ALMEIDA - Mestre em Literatura com Especialização em Teologia e Filosofia, professor universitário, jornalista/publicitário profissional. Publica regularmente na imprensa nacional e em revistas especializadas estrangeiras, além de ser crítico de raridades em revistas eletrônicas como Cronópios, Germina, Sibila, Tanto, entre outras.

Impresso
R$ 94,97

Ebook (PDF)
R$ 11,84

Tema: Literatura Nacional, Artes Palavras-chave: -, artes, digitais, gravuras, literatura, nacional, poema-processo, visuais

Características

Número de páginas: 144
Edição: 1(2013)
Formato: A4 210x297
Coloração: Colorido
Acabamento: Brochura s/ orelha
Tipo de papel: Offset 90g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.