Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

O Jogo das Mil Palavras

Por: wanderlei Francisco

Como todo jogo atrativo, este tem pelo menos dois níveis principais de “complexidade”; os quais, grosso modo, tendem a atingir de uma faixa etária mais iniciante a outra mais iniciada, e vice-versa. De maneira que tais faixas, longe de mostrarem-se excludentes, componham uma grande mescla, tendente a identificar-se com um todo ao longo da “brincadeira”.

Nesse todo reside a ideia central do livro: divertir, entreter e conquistar a criança, com vistas a atrair seu interesse para a leitura e a construção de versos como instrumental de interação com os valores humanos e o mundo a sua volta.

Buscando sempre fazer da leitura um convite para o jogo da construção poética, a ordem aparente dos poemas nasce com uma primeira fase, onde o brinquedo, o jogo (aprender a sentir e/ou construir a leitura de versos) utiliza-se dos brinquedos concretos da primeira infância (a bola, a boneca, a bike e mesmo o computador), como elementos de conquista da atenção e do interesse.

Isso para, assim dar mote às fases da transição e das descobertas, anunciadas pela vizinha puberdade. E aqui, sempre reconstruindo-se, o jogo leitural começa a dar aos primeiros brinquedos uma outra importância; assim como às pessoas, aos bichos, aos valores morais emergentes e ao próprio sexo oposto.

Para não complicar, digamos que a fase da conquista vai do poema de abertura (“A criança faz poesia”) até a página doze (“Lá na casa da vovó”), passando pela diversão e o entretenimento, sem nunca perder de vista a questão dos brinquedos-brinquedos e sua ligação com os brinquedos-palavras; o que bem se evidencia até a página 16.

Ressalte-se também “Poeminha de papel” e “Brinquedo de mar” (p. 9,10); além, claro, de “O jogo das mil palavras” (3).

Como exemplo da transição, temos “Pedalando” (15).

Mas é “Quando o leite vira queijo” (25) talvez o grande salto para a puberdade e a adolescência, que afinal recompõem-se n’“O olhar do menino”, n’“A perna da tia” (27/28) e em tantos outros sentidos; até completar-se o descortinar do bairro, da amizade, da família, da separação, da metrópole, dos valores sociais, e, claro, do grande jogo das mil palavras.

Impresso
R$ 32,10

Ebook (PDF)
R$ 14,42

Tema: Infantil, Literatura Nacional Palavras-chave: brincadeiras

Características

Número de páginas: 40
Edição: 1(2015)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.