Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

Política-Econômica Alvissarista

Teodemocracia e Estruturalismo

Por: Thiago de Paiva Campos

A teodemocracia é a forma de governo apresentada pelo Alvissarismo no segundo selo do quarto tomo de Alvíssara, onde a soberania legislativa deriva do povo e é exercida por ele, através da criação, veto e sanção das leis que regem a sociedade realizadas por via de plebiscitos, telefonia e pela internet. A teodemocracia não se confunde com a teocracia, na medida em que na teocracia o Estado é regido pela religião ou por um sectário religioso, enquanto que na teodemocracia o Estado é absolutamente laico e não está ligado a nenhuma religião nem a nenhum sectário religioso. A teodemocracia é a perfeição absoluta da democracia, na medida em que faz do povo o representante legislativo direto de Deus. Na teodemocracia a voz do povo é a voz de Deus. Como podemos ver o sistema político teodemocrático proposto pelo Alvissarismo não tem nada a ver com um governo legado por um sectário religioso, mas sim com um governo legado pelo poder do povo como representante legislativo da vontade de Deus. A teodemocracia é o instrumento do fim da corrupção política, assim como o do fim da desigualdade social, na medida em que o povo tem o poder de criar, vetar e sancionar as Leis de um país, de um Estado e de um município, o povo tem o poder de fazer valer a sua vontade, assim como a sua necessidade. Só a teodemocracia tem o poder de estruturar uma distribuição de renda moralmente justa, na medida em que com ela o povo poderá comandar essa distribuição através do seu poder de veto das Leis propostas pelo senado. O poder de criação e sanção das Leis de um país deve estar nas mãos do povo como representante legislativo de Deus; só assim desaparecerão da sociedade a corrupção e a desigualdade social! A sociedade estruturalista é um modelo de sociedade apresentado pelo Alvissarismo, e que consiste em ser não apenas uma vertente de pensamento nas ciências humanas inspirado no modelo da linguística que apreende a realidade social como uma estrutura formal de relações, mas sim em um modelo de sociedade que foi arquitetado de modo a ser uma síntese entre o capitalismo e o comunismo. Em termos dialéticos, o capitalismo é uma afirmação (Tese), o comunismo, uma negação (Antítese), e o estruturalismo uma negação da negação (Síntese). O capitalismo afirma a propriedade privada e nega a propriedade pública; o comunismo nega a propriedade privada e afirma a propriedade pública; e o estruturalismo, por sua vez, afirma tanto a propriedade privada quanto a propriedade pública, formando assim um caráter indissolúvel entre o privado e o público. O que caracteriza a Sociedade Estruturalista é a possibilidade da coexistência entre a propriedade privada e a propriedade pública; numa Sociedade Estruturalista os meios de produção são todos 50% privados e 50% públicos, a fim de sintetizar a liberdade do capitalismo com a segurança do comunismo. A Sociedade Estruturalista é o supra-sumo idealizado por Hegel emergido da contradição entre o capitalismo e o comunismo, onde a certeza sensível é superada e a consciência chega à percepção quando o mundo é apreendido pela experiência como verdade na condição de “a coisa de muitas propriedades”. Hegel conceitualiza esse processo como o “suprassumir”, e ele assim define tal processo: “O suprassumir apresenta essa dupla significação verdadeira que vimos no negativo: é ao mesmo tempo um negar e um conservar. O nada, como nada disto, conserva a imediatez e é, ele próprio, sensível; porém é uma imediatez universal”. (Hegel; p. 96. 2011). O estruturalismo é um modelo político e socioeconômico baseado na coexistência entre a propriedade privada e a propriedade pública com fins lucrativos, onde as decisões sobre a oferta, a demanda, os preços, a distribuição e o investimento são feitos através de uma parceria entre o governo e a empresa, e os lucros são divididos entre os empregadores e os empregados e os salários possuem o mesmo valor para todos os trabalhadores independente do cargo que ocupam na sociedade, e são pagos pelo governo e pela empresa com base na quantidade de hora trabalhada.

Impresso
R$ 37,61

Ebook (PDF)
R$ 19,80

Tema: Ciências Humanas E Sociais, Economia, Filosofia, Condições Econômicas, Filantropia E Caridade, Tomada De Decisão E Resolução De Problemas Palavras-chave: economia., estruturalismo, política., sociologia., teodemocracia.

Características

Número de páginas: 100
Edição: 1(2015)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.