Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

Capitalismo, Apologia da “Vita Activa” e “Dano Existencial”

Dissertação de Mestrado - Coleção "FILÓSOFOS DO NOSSO TEMPO"

Por: CLEBERSON EDUARDO DA COSTA

“A vida sem o exercício do pensar é não somente pobreza de espírito, uma vez que espírito em filosofia significa ideia, mas também escravidão...".

Sócrates dizia que "o ser que somente trabalha, come, bebe, faz sexo e dorme não é um homem, mas um escravo ou animal qualquer...".

Nietzsche certa vez escreveu que aquele que não dedica no mínimo 3/4 do seu tempo a si, ou seja, 18 horas, não é um Ser livre, mas um escravo.

___________________

Se, como dizia Sartre, filósofo existencial-humanista do séc. XX, “o homem é um projeto que só existe na medida em que o realiza”, para o existencialismo meritocrático, numa inversão de valores e princípios, “o homem só existe quando, numa disputa qualquer, vence o seu dito oponente ou inimigo, e conquista o seu chamado lugar ao sol”, sacramentando o meritocrático, individualista e elitista ditado popular que diz: “O sol nasce para todos, mas a sombra é para poucos”.

Entretanto, paradoxalmente, como o capitalismo sobrevive e se alimenta das crises que ele mesmo fabrica por meio dos seus constantes processos de obsolescência programada (coisa que o homo faber alienado desconhece), o proletário não tem e nem nunca terá também garantias, estando sempre fadado ao desemprego, como uma espécie de mercadoria qualquer que perde qualidade e valor e que é logo substituída por outra dita mais nova, melhor e/ou lucrativa.

O dano existencial causado pelo capitalismo à classe excluída, proletária ou trabalhadora, nesse sentido:

1- Está representado pela ausência de projetos pessoais dos proletários ou dos jovens aspirantes a entrarem no mercado de trabalho, que passam as suas juventudes não se desenvolvendo como seres humanos integrais, mas apenas se qualificando e requalificando (ou se formatando e reformatando), mediante instituições ditas educativas, como se fossem objetos ou coisas, ou seja, apêndices do mundo produtivo capitalista;

2- Está representado pela subordinação, enquanto “Ser-mercadoria”, aos valores e as práticas do mundo dito capitalista;

3- Está representado como a coisificação ou frustração do homem, uma vez que, na condição de exclusão social em que nasce, o excluído social também não nasce livre, porque sem condições econômicas para exercer a sua dita liberdade, ou seja, ele não nasce como um que-fazer, como um ser devir, mas como possível mercadoria e/ou mão de obra barata para ser explorada (escravizada) por meio da ética antiética do sistema capitalista.

Estas, entre muitas outras, são questões centrais que, de forma epistemologicamente fundamentada, desenvolveremos e discutiremos ao longo deste trabalho.

Selos de reconhecimento

Impresso
De R$ 48.95 por:
R$ 48,95

Tema: Ciência Política, Educação, Filosofia, Trabalho E Relações Industriais Palavras-chave: activa, arendt, ação, contemplação, dano, escravo, existencial, existencialismo, faber, hannah, heidegger, homo, kierkegaard, labor, liberdade, poiésis, sartre, vita

Características

Número de páginas: 114
Edição: 1(2017)
Formato: A5 148x210
ISBN: 978-1544282206
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.