Agbook

CONTOS, CRÔNICAS E POEMAS

Contos Regionais, Crônicas e Poemas

Por: Professor Tiago Esteves

CRIANÇA ! CRIANÇA !

Crianças que brincam à beira da estrada,

Correndo perigo, perdidas no tempo;

Não podem dizer o que passa nas mentes;

Não pensam, não agem e não sabem nada.

Crianças humildes morando nas locas

Que um dia encontraram por sorte ou azar;

São tão desnutridas; pinguinhos de gente;

Gastando suas vidas; acabando - as no ar.

Crianças sofridas no sol, no relento;

Às vistas de um povo que pena de dor.

Cansadas da luta, da fome e da peste;

Cansadas da vida; sedentas de amor.

Crianças envoltas em triste roupagem;

Enquanto outras poucas em ricos ornatos;

Crianças sem aula, sem teto, sem sorte;

No meio do Rio; distante da margem.

Crianças contentes por estarem vivas;

Por estarem prontas para o dia seguinte;

Por serem o espelho da gente que somos;

Por serem a escória da Constituinte.

Criança, criança ; coitada, coitada ;

Vê todos, vê tudo, mas não sabe nada.

UMA NOITE; OUTRAS NOITES

Longa noite de vinte anos

dormiu nossa sociedade.

Todos viveram o pesadelo.

Vivem agora a incerteza

de não construírem direito

Um passado arrumadinho .

Por estarem amordaçados...

Cordas de palavras pesadas

Diferem de laços de amor ardente.

Plantas daninhas, carnívoras,

Dominaram nossos jardins, antes floridos.

Mudas de economia estranha;

Fragmentos de raízes mortais.

Cultivadas nos solos e nas mentes

De nossos frágeis brasileiros.

Quão bom despertar do pesadelo!

Quão bom despertar assim unidos!

Quão bom combater, depois de fortes,

Fracos, frágeis; porém jamais vencidos!

Temos outros pesadelos pela frente!

Acordemos com os baques do destino!

Que esse nosso Brasil ainda é menino!

FIRME NEGRO !

Vem negro! Levanta a cabeça!

Vem ! Que o espaço ainda é teu!

Vem ! Que o que tinhas e te foi roubado

Volta pra ti, porque Deus te deu.

Vem pretinho ! O dia está lindo!

Vem que eu quero te abraçar forte.

Seja na longa jornada da vida;

Seja na dor, na tristeza e na morte!

Vem ! Que o teu dia de luta é certo.

Vem ! Que o teu lema ainda é sofrer!

Vem ! Pois você já faz parte disso!

Vem pra ficar, lutar e vencer.

Lembras que um dia de mãos atadas

Fostes buscado e, na escuridão

Lá colocado; no sofrimento...

Isso dói muito no coração.

Basta esse tempo de más lembranças;

Basta de fardos e grilhões nas mãos.

Olha pra obra ! Olha pra os feitos!

Vem conquistar estes teus irmãos.

Negro não mata. Negro não morre.

Negro não perde. Negro não cansa.

Negro que é negro, com sangue e raça

Vence na praça; vence na dança.

Passam-se os anos; pretos e brancos,

Vão se acabando na hipocrisia.

Os negros vão. Os negros ficam.

Mesmo sofrendo, dia após dia.

Todos os negros do mundo afora

Todos unidos, como no centenário.

Fazendo um coro de vozes unidas;

Fazendo-se ouvir como um campanário;

A voz do negro soando forte.

Olho no olho ! Cabeça erguida!

NEGRITUDE ASSUMIDA

Ser negro é ser forte

Ter fibra, ter fé;

Ter raça, tutano

E ser o que é.

Ser negro é ter fama

De bom ou ruim;

Ser negro é ter nome

No ouro ou na lama.

Nos tempos passados

Nos troncos, nas roças;

Negro não passava de um mero animal.

Mas, tudo que é digno,

Que é bom; que é de fibra;

Transforma; desliga.

Desprende do mal.

E negro que é negro

Já tem ideal.

Ser negro é uma marca;

Não mancha de preto.

É marca que fica

Em todos os tempos,

Em todas as eras

Em todas as eras;

Em todos os povos

Com unhas e dentes.

Ser negro é ser livre

Mesmo entre correntes.

NEGRO SABE QUE É NEGRO

Batendo com força

Nos lombos dos negros

Ardendo; gritando.

O tempo passava,

O tempo minguava;

A sorte não vinha

Com a Abolição.

Passou-se a corrente;

Passou-se o vergão.

Passou-se a vergonha,

O medo; a aflição.

Só não passa o crime

Racista e doente

De um povo demente

Que cospe pra cima.

Cem anos; quinhentos;

Não faz diferença.

Tem gente que sabe

Que dói mas não “sopra”.

O negro é tudo

que o branco possui.

Mas, triste do negro

Que sente seu dono

Num simples mortal.

Ser negro é ser gente;

Sofrendo ou sorrindo.

.................................................

Só negro é que sente.

NÊGO SIM; NEGRO NÃO !

Nego é um chamamento

Negro é um palavrão.

Nego é o jeito carinhoso

De chamar o nosso irmão.

Negritude é pesadelo

Que assombra; que humilha

Nosso irmãozinho de cor.

De uns tempo para cá

A escravidão tem sido

Um pesadelo infernal.

Pra os negros vindo da África

E pra nossa geração

Tem sido só falsidade.

Até nossos romancistas

Falaram da crueldade.

A poesia do romântico

Pelo lado social

Trouxe também uma nota

Da verdade crucial.

Hoje, em pleno Centenário

Da pseudo abolição;

Em que as forças da política

Contrariam as culturais;

Somos triste resultado

De um racismo desigual

Eu sou dessa opinião :

Nego sim ! Negro não !

Impresso
R$ 33,99

Ebook (PDF)
R$ 9,69

Tema: Ficção e Romance, Literatura Infanto Juvenil, Poesia Palavras-chave: contos, poemas, verossimilança

Características

Número de páginas: 114
Edição: 1(2017)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.