Agbook

A QUEDA DE PHAETON

Por: ADEILSON NOGUEIRA

Peter Paul Rubens (1577-1640), um dos maiores mestres do século XVII, pintou esta obra-prima como um jovem artista em Roma. Rubens descreveu um momento de grande drama neste mito grego popular que foi notoriamente narrado em Metamorfoses de Ovídio.(c. 8 AD). Faeton, filho do deus do sol Apolo, implorou e implorou ao pai que permitisse que ele dirigisse a Carruagem do Sol pelo céu.

Depois que Apolo finalmente concordou, seus piores temores foram confirmados: o jovem precipitado não tinha nem a força nem a experiência para controlar a carruagem e mantê-la em seu curso normal através dos céus. Os cavalos dispararam em um padrão irregular, de modo que a Terra ou congelou porque a Carruagem do Sol estava muito longe ou foi queimada pelo calor do Sol.

À esquerda, as mulheres-borboleta Horae, de asas de borboleta, personificando as estações do ano, que representam a harmonia e a ordem do universo, estão reagindo aterrorizadas quando a Terra explode em chamas. Até mesmo as grandes bandas astrológicas que arqueiam através dos céus são interrompidas. Fora do quadro de imagem, Júpiter, o deus supremo, acaba de soltar um raio apontado para Phaeton para salvar o universo da completa destruição. Quando a carruagem se desintegra e os cavalos se partem, Phaeton mergulha para a morte.

A história da arrogância e posterior destruição de Phaeton atraiu os artistas do período não apenas por seu caráter dramático, mas também por suas implicações alegóricas e moralizantes. Geralmente, nas publicações das Metamorfoses dos séculos XVI e XVII, a lenda de Phaeton era vista como uma parábola sobre as consequências devastadoras do orgulho e da falta de moderação. Em 1604, o teórico de arte holandês Karel van Mander interpretou a história de Ovídio como uma recomendação "para manter o meio da estrada / a direção não muito alta nem muito baixa".

Ele também apresentou uma interpretação política da história, observando que o mito nos ensina "quão prejudicial é que às vezes, quando crianças ou governantes infantis reinam sobre países, eles causam não apenas sua própria ruína, mas também a de sua comunidade". Tais ideias moralizantes podem estar por trás do pensamento de Rubens. A cena é expressiva, mas seu principal interesse parece ter sido explorar todas as possibilidades pictóricas desse drama cósmico. Um número mudanças de composição, visíveis a olho nu, indicam que ele trabalhou em The Fall of Phaeton durante um longo período de tempo. Por exemplo, Rubens pintou algumas das correias e rédeas emaranhadas dos cavalos.

Impresso
R$ 40,28

Ebook (PDF)
R$ 22,60

Tema: Pintura, Pictórico, Artista Individual, Educação, Biografia, Artes Palavras-chave: arte, biografia, pintora, rubens

Características

Número de páginas: 24
Edição: 1(2018)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.