Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

Anti-arte

experimentos em artes visuais e poemas conspiracionais

Por: Mauricio Duarte

Anti-arte? Como assim?

Numa perspectiva ampla, ilustrar é “iluminar alguma coisa.” Desde Gutemberg, essa alguma coisa é um livro e a reprodutibilidade desse livro tinha sido garantida através dos tipos móveis criados pelo artista gráfico alemão.

Capturar a “essência” de algo não é a questão. A questão é: a poeticidade das ilustrações não significa nada sem um texto que as complete.

Podemos falar do lugar da ilustração em pesquisas acadêmicas e podemos falar sobre o lugar ontológico da ilustração.

Felizmente ou infelizmente, tudo o que podemos tocar, ver, cheirar e outras das capacidades cognitivas humanas (falando sobre linguagem específica) tem um discurso por trás, tem um texto por trás.

Contudo, a ilustração “em si mesma” não necessita disso. O tema é vasto e não se esgota; podemos dizer que a ilustração necessita de um texto para funcionar, mas ela tem suas próprias questões;

por exemplo: a ilustração pode ser narrativa, informativa e... publicitária.

Embora eu não esteja fazendo arte panfletária; minha arte é um tipo de “propaganda libertária” se isso existe ou existia. Não obstante, eu não estou atrelado a nenhuma corrente da assim chamada linha anarquista ou da corrente ortodoxa socialista e não, não estou

atrelado a nenhuma corrente direitista ou centralista. Eu sou um artista visual e minha arte (ou anti-arte) é neoísta, individualista, neodadaísta ou qualquer coisa que você queira chamar, nada mais e nada menos.

Interferências em pseudo-ready-mades, mídias alternativas em pinturas digitais e poemas temáticos compõe o livro que visa estabelecer diálogo entre as diversas esferas anti-artísticas do neoísmo.

Os limites entre ilustração, design gráfico e arte conceitual são estreitos quando levamos em conta que, na atualidade, a arte contemporânea chegou a um ponto sem saída, sem futuro.

As obras apresentadas neste livro correspondem às séries que intitulei Materialidades e Vermelho Célere.

Representam minha produção artística do anos de 2008 e 2009 nessa linha conceitual.

Impresso
R$ 53,90

Ebook (PDF)
R$ 17,65

Tema: Artes, Filosofia, Poesia, Artes Gráficas, Artista Individual, Conceitual Palavras-chave: arte, experimentalismo, peças, poesia, visual

Características

Número de páginas: 50
Edição: 7(2010)
Formato: A5 148x210
Coloração: Colorido
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.