Agbook

Guerra

Esta página foi vista 75 vezes desde 18/04/2020

Aspecto filosófico

Por: Daniel Selbaroli

Alguns rejeitam a própria ideia da "moralidade da guerra". Desses, alguns negam que a moralidade se aplica a tudo uma vez que as armas atacam; para outros, nenhuma teoria moral plausível poderia licenciar os horrores excepcionais da guerra. O primeiro grupo às vezes são chamados realistas. O segundo grupo são pacifistas. A tarefa da teoria da guerra é buscar um caminho do meio entre eles: justificar pelo menos algumas guerras, mas também limitá-las (Ramsey 1961). Embora o realismo, sem dúvida, tenha seus adeptos, poucos filósofos o acham atraente. O verdadeiro desafio para apenas a teoria da guerra vem do pacifismo. E devemos lembrar, desde o início, que este desafio é real. A guerra justificada pode muito bem ser uma quimera.

No entanto, essa entrada explora o caminho do meio entre o realismo e o pacifismo. Começa delineando a divisão substantiva central na teoria contemporânea da guerra justa, antes de introduzir as cismas metodológicos que sustentam esse debate. Em seguida, discute a avaliação moral das guerras como um todo, e dos atos individuais dentro da guerra (tradicionalmente, embora um pouco enganosamente, chamado jus ad bellum e jus em bello, respectivamente).

Ebook (PDF)
R$ 15,07

Tema: Filosofia / Religião, Filosofia, Ciências Humanas E Sociais, Ciência Política Palavras-chave: bélica, e, guerra, guerra, moral, moralidade, pacifismo, pacifistas, ramsey

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.