Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

Amor Perfeito

Poemas do Pratinha 19

Por: Pratinha

Os poemas confessionais do Pratinha dirigem-se a um público amplo, ou sejam aquelas pessoas que precisam reunir palavras para expressar amor, falar com seus pretendidos, abrir caminhos da comunicação verbal em função das revelações que o amor lhes exige e para as quais não encontram palavras que considerem doces e necessárias. Não raro, encontramos nos jovens enamorados desejos incontidos de manifestação junto aos seus amados. Antigamente, quando a ingenuidade dessas moças e rapazes os fazia tímidos e despreparados, usavam-se muito as cartas de amor, onde procuravam se esmerar ao máximo, a fim de conseguir contemplar, para si próprios e para seus pares, os sentimentos que acalentavam na alma. Tais epístolas faziam suspirar os amantes. Hoje em dia, a grande maioria dessa juventude já considera perda de tempo começar pela escrita. Os jovens se olham, se atraem e chegam diretamente, convidando o(a) outro(a) para “ficar”. Porém os tímidos e os poetas continuam a existir e necessitam do aporte da escrita para embarcar em aventuras amorosas. E essa gente não é pouca. Se fossem um por cento dos habitantes do planeta, já representariam um contingente imenso de leitores capazes de justificar o gênero, digamos assim, que o Pratinha apresenta em sua arte de poetar. Em seus textos encontramos um manancial de adjetivos qualificativos do amor e da pessoa amada, bem como de situações reais ou imaginárias que possam ocorrer para alimentar o arquétipo dos amantes. Por vezes, são manifestações ingênuas e, por outras, tendem a um erotismo moderado e conciliador ante certos moralismos da sociedade em que vivemos. Este contingente imaginário não poderia ser, do ponto de vista comercial, público para consumir os livros do Pratinha, por localizar-se esparsamente no planeta, onde existem alguns milhões de poetas percorrendo o mesmo sentido de escrever. Destarte, bastará um pequeno meneio do poeta para um lado mais apimentado de escrever e este suposto público leitor poderá se multiplicar exponencialmente, atingindo proporção gigantesca. Isto porque o mundo anda a passos largos na estrada do erotismo, em todas as mídias que conhecemos. Aqueles jovens antigos de que falei acima, nunca estiveram inocentes, porque continham em si a lascívia que vem da própria natureza, porém, se controlavam nas epístolas, com maior ou menor liberdade. Eram outros tempos. Hoje em dia, a mesma lascívia permeia no mundo e encontra ambiente amplo para se expandir. Tenho sido editora e analista dos textos do Pratinha e o que sei deste autor é que possui considerável imaginação. que pode viajar para patamar maior, literariamente falando, a fim de conquistar espaço comercial mais produtivo para os seus livros. O seu ponto forte são as crônicas à sua musa, que podem interessar a quem precisa desse aporte. Estas crônicas, nos 19 livros que editei, vieram sempre ao final, com o título de “MEUS CONTOS”, sendo essa uma denominação baseada na licença poética, uma vez que, sem desmerecer a qualidade dos escritos, considero que não houve um fator predominante que os colocasse no gênero “contos”. É preciso esclarecer isto e aproveitar tais textos em livros separados, dando-lhes o devido valor. Aqui nesse livro e já noutros anteriores, foi colocado mais um “Apêndice” com o título de CONTEXTUAL. Tenho uma parcela de responsabilidade com esta miscelânea, pois concordei em adotar tal formato, uma vez que o desejo do autor parece ter sido colecionar e compilar suas produções em livro, de modo indeterminado, sem maior pretensão. Mas os autores crescem, tanto em produção quanto em caminhos de escrever. Para que não percam o compromisso com a devida clareza de identidade dos textos, dificultando a própria concentração, considero que devemos atentar para uma organização maior no tocante aos gêneros, a fim de contemplar separadamente os segmentos de leitores e dar maior visibilidade a todos do que possa ser o conteúdo dos livros. Pouco a pouco, vamos acomodando as coisas. Este livro, (o décimo nono), está chegando em 2021, por uma questão de atraso, mas é ainda resquício da sistemática de 2020. Entendo que está fechando um ciclo, mas verão que já apresenta uma tendência leve para o erótico, gerando expectativa de adentramento maior à liberdade mais apimentada, que parece ser o que os leitores procuram, nesta época de distanciamento socio-humano. Pretendemos, a partir dos próximos livros, colocar cada texto dentro do seu quadrado (livro adequado) e isso exigirá um trabalho imenso, mas gerará melhores frutos e reconhecimento claro da obra deste autor, por leitores e críticos. Já estamos em conversações para isso e queremos trazer toda essa nova dinâmica para o ano de 2021 em diante. (Luciana Carrero, produtora cultural).

Selos de reconhecimento

Impresso
R$ 49,70

Ebook (PDF)
R$ 22,60

Tema: Literatura Nacional, Poesia, Diversos Palavras-chave: amor, erotismo, musa, poesia

Características

Número de páginas: 122
Edição: 1(2020)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 90g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.