Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

USO DOS RECURSOS NATURAIS DA AMAZÔNIA PARAENSE

Por: Christian Nunes da Silva; Gilberto de Miranda Rocha; João Marcio Palheta da Silva; André Cutrim Carvalho

Na atualidade, é necessário sabermos que, ao pensar no território amazônico, devemos considerar a diversidade das características ambientais e sociais que integram este importante espaço, que possui dimensões continentais, com diferenças geográficas internas significativas, que só enriquecem as culturas e modos de vida de seus moradores-usuários como um todo, e que vem sendo moldadas desde o período anterior à ocupação europeia, que iniciou no século XVI. Assim, o território amazônico é palco, produto e condicionante de dinâmicas territoriais diversas, onde as ações dos agentes modeladores do espaço são ativadas conforme o interesse de cada grupo ou empreendimento, aguardando os movimentos estratégicos de avanço ou recuo de interesses. Nesse sentido, empresas, organizações não-governamentais, sociedade civil, igrejas e o Estado tentam, estrategicamente, usar de suas influências para garantir a satisfação de seus anseios e vantagens. As mudanças que ocorrem nesta região refletem diretamente na vida social e no contexto ambiental geral, estimulando o surgimento de Terras Indígenas/TI, Unidades de Conservação/UC, cidades, áreas militares, atividades industriais, company towns, hidroelétricas, etc. Essas circunstâncias harmônicas ou antagônicas são razão e produto direto do tipo de uso e ocupação do solo e seus recursos naturais, mostrando que as formas e os objetos que antes não interessavam, ou que eram “ilimitados”, na atualidade, adquirem um valor inestimável, fruto, sem dúvida, da escassez ou do aumento de demanda desses recursos, outrora abundantes e que refletem no embate de forças entre os diversos usuários do território, sejam eles nacionais ou estrangeiros. Os textos dessa coletânea pretendem mostrar um recorte dessas dinâmicas sociais e ambientais, que são diversas, oriundas de extrativismos florestais, minerais e aquáticos, nesta região-país, com sotaques e culturas de riquezas incomparáveis, em que os habitantes coexistem com o ambiente, explorando ora sustentavelmente, ora predatoriamente, de forma consciente ou não de sua finitude, sabendo que, entender a Amazônia, significa reconhecer suas multiterritorialidades, compreendendo não somente sua riqueza natural, mas também social, a partir de sua capacidade de se recuperar sem a presença humana.

Selos de reconhecimento

Impresso
R$ 57,51

Ebook (PDF)
R$ 25,19

Tema: Universidade, Pesquisa, Geografia Humana, Geografia E Historia, Desenvolvimento Humano, Ciências Humanas E Sociais Palavras-chave: amaz/õnia, naturais, recursos, território

Características

Número de páginas: 452
Edição: 1(2021)
Formato: A5 148x210
ISBN: 978-65-878-4202-8
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.