Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

Professor

Esta página foi vista 200 vezes desde 27/03/2021

Não se esqueça de mim

Por: Gregory Goldenhill

Educar, essa missão tão importante quanto difícil, tão necessária quanto merecida. Ao mesmo tempo que exige uma força, uma determinação, é tão sutil, tão sublime, tão leve, que merece uma pausa, uma reflexão.

Todos os mestres do conhecimento foram forjados dentro de uma sala de aula, num colégio, ou mesmo num celeiro, mas sempre com um professor e muita vontade a sua frente. O pai da Psicanálise teve seu professor, o gênio da Física teve um mestre, o melhor químico do mundo teve seu professor, mesmo o gênio da escultura como Michelangelo, e até mesmo o maior dos filósofos, Platão, teve o seu guia, seu conselheiro e orientador.

Quantos mestres do conhecimento nasceram e não puderam se tornar o que poderiam, por falta de um mestre de um professor para lapidar seu potencial?

Será que existe uma educação certa? Será que existe uma maneira certa de educar? Será que existe uma maneira certa de passar esses conhecimentos e despertar no outro a vontade de estudar de educar-se por si próprio?

Uma certeza nós temos - não existe educação sem educadores, sem professores para ensinar. Existem todos os tipos de professores, mas é necessário haver professores e também o que ensinar. É necessário haver aprendizes, mas sobretudo o aprendizado.

As nações que abandonaram a educação, passaram a ser comandadas pelos instintos, pelas reações primitivas, superstições, ou a ganância de conquistas materiais prementes, pagaram um alto preço e ficaram para trás. Todas as nações quando abandonaram os seus professores, os mestres do conhecimento, viram-se abandonadas pela história.

Educação é mais do que cultura, é mais do que saber, é mais do que ter recursos. Educação é estar permanentemente em evolução, em aprendizado. O universo não para, e quem parou com a educação, quem parou em aprender, ao invés de ir para frente vai para trás, continua em movimento, porém é um movimento inverso.

A vontade da razão é ir para frente, mas sem educação, a vontade dos instintos comanda o ir para trás e todos sofrem com isso, toda uma nação fica sem horizontes.

A missão maior do educador é abrir horizontes, é descobrir junto com seus aprendizes as possibilidades do futuro, é fazer um amanhã melhor. O amanhã é feito hoje, e são os mestres que fazem esse hoje valer a pena.

Os professores, esses mestres em promover a abertura de janelas, em promover a abertura de possibilidades devem ser valorizados para que continuem com sua missão, e o educar confirme sua eterna missão de construir as pontes entre o hoje e o futuro.

Os professores são esses eternos construtores de pontes, as pontes que ligam cidades, países e continentes. E quando há fluxo entre as pontes significa que a vida se tornou mais rica, mais viva, mais poderosa, afinal a ponte foi feita para unir o que antes eram dois mundos distantes e separados.

Agora há vida cruzando os oceanos obscuros, as vegetações fechadas e os desertos da ignorância. Agora há troca, há enriquecimento, pois tudo pode ser compartilhado, tudo pode ser dividido, somado e multiplicado e construído novamente.

Os professores são pontes que levam ao outro lado as possibilidades, a realidade de um mundo mais rico e mais prazeroso. São pontes do conhecimento necessário, e unem, transformando vidas, desenvolvendo talentos, descobrindo o novo, abrindo janelas para um futuro melhor.

Os professores são escadas. Eles são os degraus e fazem o convite para que subamos e nos elevemos acima, são degraus que nos convidam a crescer, evoluir, sair de um patamar e passar a outro nível, e subindo as escadas podemos enxergar novos horizontes, novos desafios e depois de um tempo, podemos perceber como foi maravilhoso ter subir aquelas escadas. Já somos outro ser, maior, mais rico, mais cheio de recursos, mais completo, mais humano.

De repente percebemos como necessário subir aquelas escadas, pois a vida não para e, fica muito melhor quando podemos nos elevar como alma, como espírito livre e poder olhar para baixo e ajudar quem precisa de mais um passo no degrau do crescimento e da educação.

O professor é uma luz a iluminar a escuridão, uma luz que brilha nas noites escuras e sombrias e a caminhada se torna mais leve, mais segura. Ele ilumina não apenas com seu cérebro, mas com seu coração e assim a longa caminhada do saber ser torna mais doce, mais rica em diversidade. É como um farol apontando para o longe.

Como diz o grande filósofo alemão Friedrich Nietzsche “Precisamos de companheiros de viagem, e vivos”. E o professor é esse companheiro que nos segue desde a infância até a maturidade, e com a lanterna sempre no alto.

Às vezes nem percebemos, mas quando a escuridão aparece, logo recorremos a ele e dizemos – “por favor, acenda a luz, sem ela não posso caminhar, sem ela eu não passo avançar mais um degrau, mais um passo”. E lá está ele com seus livros, suas mensagens, seus conselhos, suas fórmulas, sua disponibilidade. Então recomeçamos a viagem, mais seguros e clareados.

Um professor que não pode ensinar é como um pássaro sem poder voar e cantar. E o mundo perde uma linda melodia, talvez melodia inspiradora de novos talentos.

A educação é essa eterna porta nos convidando a entrar e conhecer um mundo grandioso além dos batentes da vida. Os professores são os guias atrás da porta que nos recebem bem nessa casa do educar e abrindo novas portas a cada jornada, possibilita as descobertas e um universo a ser habitado.

Ao final de uma longa caminhada abrindo novas fontes, e bebendo o vinho do saber, já não podemos mais voltar, tudo ficou mais vivo, mais vibrante, tão mais cheio de cores, que queremos por vontade própria abrir novas portas e saborear o que estava oculto.

Depois de alguns anos de convivência, de troca de saberes, esses mestres do conhecimento se despedem de nós e sem falar nada, fica-nos a impressão que eles querem dizer:

“Vai! Agora é hora de construir pontes, abrir portas e acender luzes pelo caminho, pois há muitas pessoas, vindo, e elas precisam encontrar um universo melhor do que esse que acabamos de viver. Caminhe sua estrada, conquiste suas conquistas e faça um mundo melhor para todos nós.”

Impresso
R$ 51,43

Ebook (PDF)
R$ 28,95

Tema: Psicologia Educacional, Educação Não Formal, Crescimento Pessoal, Educação, Desenvolvimento Humano, Autoajuda Palavras-chave: autoajuda, educador, educação, motivação, professor, reflexão, relacionamento

Características

Número de páginas: 122
Edição: 1(2021)
Formato: A5 148x210
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.