Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

O LIVRO DE JÓ

CONFIANÇA NO CARÁTER DE DEUS

Por: Pastor Geovaldo Barroso

Livro único na Bíblia e profundo por muitas razões; pois, a história ocorre numa terra muito distante de Israel chamada UZ, e Jó, o personagem principal, não é israelita, e o autor que é anônimo nem sequer define o enredo em um período especifico da história antiga. Isso parece ser intencional, como se o autor não quisesse deixar distração em questões de épocas, mas atrair sua concentração tão somente na história de Jó e nas questões apresentadas pela sua experiência, diante o sofrimento.

O livro de Jó tem seu conceito literário claríssimo, que inicia e termina com um breve prefácio narrativo, e depois um fechamento, então, o miolo do livro é uma densa poesia hebraica, revelando falas entre Jó e quatro parceiros de diálogos, nominados nesse contexto de amigos. Diálogos que são conclusos por uma série de discursos poéticos dados por Deus a Jó.

Temor e Prosperidade de Jó

Jó sendo rico, porém, também, amigável.; ainda que difícil e incomum, não é impossível que um rico entre no reino dos céus, pois, pela graça de Deus podemos vencer as tentações das riquezas desse mundo. O relato da fé e da prosperidade de Jó antecede a história de suas aflições, e mostra que não havia nenhuma saída. Ainda que Jó visse com satisfação a harmonia, o bem-estar de seus filhos, seu conhecimento sobre o coração humano o fazia temer por eles. Ele os enviava e sacrificava por eles, a fim de lembrar-lhes que deveriam examinar-se a si mesmos, confessarem seus pecados, procurar o perdão e, como quem espera atenção da parte de Deus através do Salvador prometido, ele oferecia um holocausto para cada um deles. Vemos o seu cuidado e carinho para com seus filhos, visto que, seu conceito sobre pecado, trata-se de dependência total da misericórdia de Deus, da forma como Ele tem designado.

Satanás Acusador e Tentador

As aflições de Jó iniciaram pela maldade de Satanás, com a permissibilidade de Deus para propósitos sábios e santos (perda de bens, de filhos e desprezo da mulher). O inimigo de Deus e da justiça procura continuamente tirar do caminho e, se possível, destruir os que amam a Deus. Não sabemos até aonde a sua influência pode ir; porém, talvez parte da instabilidade e da infelicidade dos cristãos podem ser atribuídas a ele. Se, ainda nos encontramos na terra, estaremos ao seu alcance. Cabe-nos estar sóbrios e sempre atentos. (1 Pedro 5:8)

Observe aqui como Satanás censura a Jó; essa é a forma pela qual os caluniadores comuns entes agem; eles sugerem algo do qual não têm motivo, para fazer pensar que a sua mentira é verdadeira. Assim como devemos abominar a hipocrisia, não podemos ainda ser contados e chamados de hipócritas. Nada há de mal em colocar os nossos olhos na recompensa eterna de nossa obediência; mas péssimo é colocá-la nas vantagens terrenas de nossa religião.

O povo de Deus e todos que lhe pertencem estão sob Sua cobertura especial. A bênção de Deus é que enriquece (Provérbios 10:22), e o próprio Satanás admite isso. Foi Deus quem permitiu que Jó fosse provado. Nosso consolo é saber que Deus aprisionará o Diabo (Apocalipse 20:1,2). Ele não tem poder para forçar os homens a pecar, a menos que esses o permitam; tampouco tem meios para afligir os homens, se esses não vierem do alto. Tudo isso, está aqui escrito para nós, segundo a forma dos homens. A Escritura atesta dessa forma para nos mostrar que Deus dirige todos os assuntos da humanidade. O maligno foi quem agenciou os transtornos na vida de Jó em um dia em que os filhos desse patriarca começavam as festas anuais. Essas e outras situações recaíram sobre Jó de uma só vez, enquanto o mensageiro das más notícias falava, e outro já chegava. As possessões mais valiosas e queridas de Jó eram seus dez filhos, eles trazem-lhe a notícia que estes estão mortos. Então, foram arrebatados, e quando Jó mais necessitava deles para o consolar pelas outras perdas, apenas em Deus achamos ajuda fiel em todo tempo.

Paciência e Temor de Jó

Jó se humilhou debaixo da potente mão de Deus. Ele argumenta a partir do estado comum da vida humana, coisa que descreve; que nenhum dos bens que possuímos trouxemos ao mundo; laboramos por eles ou recebemos de outras pessoas. Jó se encontra reduzido ao seu primeiro estado por causa de todas as suas perdas.

Ele está justamente onde deveria se encontrar, no final, e apenas é despojado, ou melhor, descarregado um pouco antes do que esperava. A pessoa que se despe muito antes de ir dormir, sente-se menos confortável do que quem veste o seu pijama pouco antes de se deitar. Da mesma forma, o que o deu também o tirou, veja como Jó olha por cima dos instrumentos e mantém seu olhar fixo na causa principal. As aflições não devem nos desviar da fé, mas nos estimular. Se olharmos para Deus diante dos problemas, Ele nos sustentará: Deus é justo! Tudo o que possuímos é por sua dádiva; podemos até perder, devido ao pecado, mas não deveríamos murmurar, caso Ele nos tire partes. O nosso desconforto e impaciência, tornam-se em acusação contra Deus. Jó vigiou sabiamente contra isso, como devemos também agir, quando reconhecemos que Deus tem agido sabiamente.

Diante a maldade e o poder de Satanás, sejam-nos par nós mais preciosos, como o Salvador Jesus, que veio para destruir as obras do Diabo. Aquele que, pela nossa salvação, sofreu por parte desse inimigo muitíssimo mais do que sofreu Jó, ou do que podemos pensar. Satanás tem permissão para provar; como os sofrimentos de Jó, bem como seus amigos que vêm consolá-lo.

Quão bom é para nós que nem os homens nem o Diabo sejam nossos juízes, mas que todo juízo venha do Senhor, que nunca erra. Jó luta firmemente em defesa de sua integridade, como sua arma (sua confiança no caráter de Deus). Deus fala com prazer do poder de Sua própria graça. O amor e a conservação de si mesmo são mui fortes nos corações humanos. Mas, Satanás acusa Jó, como que ele seja egoísta, sem que nada lhe importe, salvo o seu próprio bem-estar e segurança. De igual modo, o povo de Deus e os seus caminhos são frequentes e falsamente acusados pelo Diabo e seus agentes. E dada permissão a Satanás para que faça provas, mas com limites. Se Deus não nos desse poder contra o que ruge como leão, quão prontamente ele nos devoraria! E Jó é caluniado dessa forma por Satanás, talvez um tipo de Cristo, cuja primeira profecia foi que Satanás lhe feriria o calcanhar, mas seria aniquilado. O Diabo tenta os seus próprios adeptos, leva-os a pecar e atormenta-os logo depois de tê-los levado à ruína, “roubar, destruir e matar” (João 10:10), porém, ele atormentou também a esse filho de Deus, e tentou-o para que Ele agisse de forma má em sua aflição. Ele provocou Jó a amaldiçoar a Deus, mas não obteve êxito.

Impresso
R$ 39,10

Ebook (epub)
R$ 19,80

Tema: Literário, Histórico, Bíblia, Teologia, Religião, Biografia Palavras-chave: biografia, caráter, confiança, deus, jó, livro, religião, teologia

Características

Número de páginas: 110
Edição: 28(2021)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.