Agbook

DOBRÃO DE 20 DOBRAS

E A NUMÁRIA DE LEÃO E CASTELA

Por: ADEILSON NOGUEIRA

Castela era o coração da Espanha. Seus soldados foram os que mais ativamente combateram os árabes. Seu dialeto foi o que se tornou língua nacional. E em Castela forjou-se o temperamento característico do povo espanhol.

A Peça de 20 dobrões de João II de Leão e Castela (1405-1454), representa parte dessa história tão rica. Em uma das faces, a figu¬ra do rei, ostentando a armadura de cerimônia e montando um cavalo com adura de ferro pro¬tegendo o peito). No verso da moeda, caste¬los e leões heráldicos. A moeda pesa 90 g e mede 93 cm de diâmetro. O único exemplar conhecido encontra-se na Alemanha, no Museu Staatliche Kunstsammlungen Dresden. É peça rara e cobiçada pelos colecio¬nadores.

O estudo das moedas sempre exerceu em mim um enorme fascínio, mas nunca de uma perspectiva estritamente numismática. Primeiro, foi como símbolo do poder de compra e mais tarde como um dos instrumentos que nos permitem conhecer a história dos povos sob um aspecto diferente das abordagens militares ou políticas com as quais geralmente é estudada.

A moeda nasceu como tal no século VII a. C. em Sardis, capital da Lídia na Ásia Menor. Os primeiros espécimes foram o electrum, algumas pepitas naturais de ouro e prata, encontrados nas areias dos rios. O rei Giges determinou que a cabeça de um leão fosse impressa sobre elas, o emblema da cidade, como um selo.

No século VI a. C. aparecem na mesma cidade, as primeiras moedas de ouro puro e prata. O rei Croesus, imensamente rico e inspirador do mito de Midas, o soberano que transformou tudo em ouro, fez imprimir seus símbolos reais no anverso delas: as cabeças de um leão e um touro.

Acredita-se que elas foram usadas, inicialmente, para pagar tropas mercenárias. Mais tarde, o seu uso foi estendido, aceitando-o como meio de pagamento e, em breve, era encontrada em toda a bacia do Mediterrâneo, favorecendo grandemente as transações comerciais e, portanto, a produção de bens e a prestação de serviços.

Desde a sua criação, a moeda está inextricavelmente ligada à história das pessoas e evoluiu com elas. As sociedades são essencialmente organizações dinâmicas que se transformaram nos tempos e a moeda tem feito a mesma medida. Escolhemos ilustrar as modificações monetárias, um exemplo válido na Península Ibérica ao longo de oito séculos: o maravedí.

O nome vem da palavra muçulmana “morabite”, devotos a Deus, qualificação dada por Abd Allah-ben-Yasim aos Almoravids. Foram eles que puseram em circulação o dinar de ouro conhecido como morabetín ou morabetino e aos quais os cristãos chamavam de maravedí.

Impresso
R$ 45,33

Ebook (PDF)
R$ 20,45

Tema: Moedas & Medalhas, Historiografia, Europa, Não Ficção, Geografia E Historia, Antiguidades E Colecionáveis Palavras-chave: castela, dobrÃo, e, espanha, leÃo, numismÁtica

Características

Número de páginas: 56
Edição: 1(2017)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.