Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

O ALVORECER DA CIVILIZAÇÃO

Por: ADEILSON NOGUEIRA

Existem três linhas diferentes pelas quais conseguimos obter algum conhecimento desses nossos ancestrais distantes sobre as quais eles nos enviam murmúrios confusos e fracos, cujo fascínio torna ainda mais irritante a imprecisão de seu discurso.

Primeiro, temos as gravuras, sejam da América Central, do Egito, da Babilônia ou de outras terras. Estas, quando traduzíveis, levam-nos o mais próximo ao coração do grande passado. É a mente, o pensamento do homem que é mais intimamente ele; nem seu rosto, nem sua figura, nem suas roupas. Infelizmente, a tradução desses escritos não é tarefa fácil. Os da América Central ainda são um enigma não resolvido. Os da Babilônia foram lentamente reunidos como um quebra-cabeça, um quebra-cabeça para o qual o mundo erudito pensou melhor. No entanto, eles não são totalmente compreendidos. No Egito, tivemos a sorte de tropeçar na Pedra de Roseta, que torna bastante clara a escrita antiga.

Onde esse modo de comunicação falha, voltamo-nos para outro que nos leva ainda mais longe no passado. Os registros que foram preservados de maneira menos intencional, não apenas os prédios, mas suas decorações, os ornamentos pessoais de homens, ídolos, moedas, todo fragmento imaginável, o acaso escapou da fome do tempo, tem sua própria história para nossa leitura.

No Egito, encontramos tumbas secretas e profundamente ocultas e, invadindo seus muitos séculos de silêncio, fizemos colheitas de conhecimento a partir da riqueza acumulada. Na Babilônia, a vegetação rasteira cobria cidades inteiras sob colinas verdes e as preservava até que nossa curiosidade moderna as aprofundasse. Hoje, quem quiser, poderá andar entre os corredores de Senaqueribe, andar pelas ruas de onde Abraão fugiu e poderá contemplar a obra de homens que viveram talvez tão antes de Abraão quanto nós mesmos depois dele.

Nem nossos meios de penetrar no passado estão esgotados. Uma terceira cadeia, ainda mais sutil e maravilhosa, foi encontrada para nos ligar a uma ancestralidade imensuravelmente remota. Essa corrente ininterrupta consiste nas palavras de nossas próprias bocas. Nós falamos como nossos pais falaram; e eles seguiram apenas as gerações anteriores. Pronúncias ocasionais foram alteradas, novas palavras foram adicionadas e antigas esquecidas; mas alguns sons básicos de nomes, alguns pensamentos fundamentais do coração, provaram ser tão imutáveis quanto as elegâncias superficiais são mutáveis. "Pai" e "mãe" significam o que eles significaram para incontáveis idades.

Impresso
R$ 48,24

Ebook (epub)
R$ 27,98

Tema: Educação, Geografia E Historia, Não Ficção, Antigo, Civilização, Middle East Palavras-chave: civilização, história

Características

Número de páginas: 36
Edição: 1(2020)
Formato: A4 210x297
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

Selo_norton

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.