Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

Integração ferroviária Sul-americana

Esta página foi vista 117 vezes desde 20/01/2021

por que não anda esse trem?

Por: Ivanil Nunes

O objeto de estudo deste livro é a infraestrutura ferroviária sul-americana, particularmente sua função para o processo de integração sul-americano após a década de 1990. O principal objetivo neste trabalho é analisar por que a infraestrutura ferroviária sul-americana é tão pouco integrada. Mais especificamente, porque o sistema ferroviário brasileiro é tão pouco integrado ao conjunto da infraestrutura ferroviária Sul-Americana. Argumenta-se nesta pesquisa que a inexpressiva participação ferroviária no processo de integração regional está relacionada ao tipo de desenvolvimento econômico e social realizados historicamente nos países da Região. As ferrovias sul-americanas contribuíram, até meados do século XX, para a integração tanto nacional quanto intrarregional através da expansão de linhas férreas em âmbito nacional quanto pela construção de conexões internacionais, que serviram para aumentar a possibilidade de trânsito de passageiros, de mercadorias, animais ou pequenas expedições, na Região. No entanto, a partir da década de 1950, observa-se à desativação de parcela significativa de linhas e serviços do modal ferroviário regional, que foi submetido a um processo de reinvenção de seu modelo de negócios pela intervenção estatal (e pelas próprias forças do mercado) que, após décadas de controle e readequação administrativa, acabou por, novamente, estimular a volta de investidores privados ao setor. A pertinência da escolha do modal ferroviário como paradigma de análise ocorre pelo fato de que nele parecem estar contidas as principais dificuldades para uma efetiva integração econômica através da infraestrutura física dos países sul-americanos, tendo em vista que a participação deste modal nos fluxos de comércio e de pessoas que circulam entre os diversos países da Região é praticamente inexistente. Afinal, se existem linhas férreas ligando, pelo menos, sete países da América do Sul e se existem mercadorias a serem transportadas regionalmente, considerando-se que aumentaram efetivamente as exportações e importações na Região, por que, então, não aconteceu aumento proporcional dos transportes pelo modal ferroviário?

Selos de reconhecimento

Impresso
R$ 49,59

Ebook (epub)
R$ 24,11

Tema: Economia, Transporte, Ferrovias, História Econômica, Transporte Público Palavras-chave: argentina, brasil, ferrovias, ivanil, sul-americana

Características

Número de páginas: 286
Edição: 2(2021)
Formato: A5 148x210
ISBN: 978-65-001-6358-2
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.



Personalizar acabamento
Para comprar cópias com opções de acabamento diferentes entre si, é necessário adicionar uma versão de cada vez ao carrinho.

Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.