Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

O suicídio indígena, desespero e genocídio

Por: Eliel Roshveder

A força do índio está na aldeia, no coletivo, por isso quando o branco vem oferecendo dinheiro ou presentes para alguns jovens indígenas em troca de madeira e minérios o sistema indígena da tribo começa a desmoronar e o genocídio começa.

Primeiro o branco vem em tom amigável, mas quando os chefes da aldeia repreendem o índio que aceitou os presentes de grego de branco e começam a tentar bloquear a infiltração de madeireiros e garimpeiros o choque acontece, verdadeiros massacres ocultados ou minimizados pelo poder público. Isso ocorre há 500 anos, nossa história não é bonita como nos ensinam nas escolas, aquilo é tudo balela, nossa história é uma história de massacre indígena e de desrespeito as culturas das minorias.

Hoje que a floresta está reduzida o massacre aumentou, o genocídio se faz presente em toda parte. A maior parte da matança ocorre pelas doenças que o branco leva para a aldeia em tom amigável.

A pandemia do coronavírus é o golpe final sobre o povo indígena, pois os invasores das aldeias indígenas levaram esta praga e muitos estão morrendo.

Na verdade os brancos não invadem a aldeia em si e sim seu entorno rico em florestas e minas, mas no trânsito ocorre o contato e o contágio.

O suicídio indígena já vem ceifando milhares e agora a pandemia vem fazendo seu trabalho também.

O índio desesperado vê sua saída do lado de lá, do lado dos mortos, por isso o suicídio está ocorrendo em larga escala.

O suicídio junto com a pandemia está ameaçando os nossos últimos guerreiros indígenas.

No lugar do índio as matas ficarão vazias, o que restará delas, pois no lugar vazio que o branco deixou também não haverá aves e animais, pois a mata vive em equilíbrio, é o índio que preserva e sem ele tudo se converte em deserto verde, isso quando o verde não der lugar a charcos e plantações de soja e gado...

O progresso feito com sangue indígena não é progresso, é retrocesso.

Selos de reconhecimento

Impresso
R$ 37,68

Ebook (epub)
R$ 13,99

Tema: Drama, Não Ficção, Natureza, Conservação Ambiental e Proteção, Religioso E Ritualístico, Vida Selvagem Palavras-chave: coronavírus, covid-19, depressão, epidemia, genocídio, indígenas, pandemia, sofrimento, suicídio, tortura

Características

Número de páginas: 154
Edição: 1(2021)
Formato: A5 148x210
ISBN: 978-10-053-9628-2
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Offset 75g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

Fale com o autor

*Seu nome

*Seu email

*Mensagem


SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.