Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO

Agbook

OFÍCIO DIVINO

Esta página foi vista 54 vezes desde 21/04/2024

VOLUME IV - PRÓPRIO DOS SANTOS

Por: IGREJA BRASILEIRA

O santo e o sagrado não são sinônimos, do ponto de vista teológico.

Quem nos faz esta diferenciação são estudiosos como o luterano Rudolf Otto, em sua obra “O sagrado: aspectos irracionais na noção do divino e sua relação com o racional”.

Assim, diferencia Otto, o Santo é inatingível. O sagrado, por sua vez, é sentido e experimentado através de espaços e celebrações que realizamos por meio da religião.

Por este motivo, podemos afirmar que há lugares sagrados, mas jamais santos, porque esta é uma qualidade que pertence apenas ao ETERNO.

Todavia, para o Cristianismo, sagrado e Santo, são sentidos na Liturgia, pois Cristo ora em nós, por nós e através de nós. Desta forma, o Santo transforma o nosso sagrado, o toma, o possui.

Isto ocorre porque Cristo, Orante do Pai, vindo ao mundo para comunicar aos homens a vida divina, o Verbo que procede do Pai como esplendor da sua glória. introduz nesta terra de exílio o hino que eternamente se canta no Céu.

Desde aquele momento, ressoa no coração de Cristo o louvor divino expresso em termos humanos de adoração, propiciação e intercessão. E tudo isto Ele apresenta ao Pai, como Cabeça da nova humanidade, Mediador entre Deus e os homens, em nome de todos, para benefício de todos.

A Igreja orante é santa e sagrada, unindo a Igreja militante com a Jerusalém Celeste.

Neste sentido, os Salmos, patrimônio da Liturgia Judaica, era utilizada no tempo de Jesus como manifestação sagrada, como maneira de sentir o Santo.

A Igreja, desde os tempos primevos, sempre orientou a seus filhos que mantivessem este salutar hábito de santificar o tempo humano “kronos”, orando ao Filho de Deus, experimentando o “kairós” (tempo da Graça)

Nossa Igreja, como herdeira desta Tradição, não poderia se fazer calar. Por este motivo, o presente trabalho deseja ser direcionado para nossas comunidades, adaptado é claro às demandas do homem pós moderno. Neste diapasão, devem os clérigos e demais agentes de Liturgia, incentivarem o uso do Ofício Divino, mas de acordo com a realidade local.

Esperamos que a Igreja, com suas experiências locais diocesanas, possa acrescentar ao presente trabalho mais de sua espiritualidade, a fim de que seja a verdadeira expressão da liturgia “icabense”

Impresso
R$ 44,69

Ebook (PDF)
R$ 21,36

Tema: Teologia, Religião, Homilética Palavras-chave: liturgia

Características

Número de páginas: 224
Edição: 1(2024)
Formato: A5 148x210
Coloração: Preto e branco
Acabamento: Brochura c/ orelha
Tipo de papel: Couche 90g

Livros com menos de 70 páginas são grampeados; livros com 70 ou mais páginas tem lombada quadrada; livros com 80 ou mais páginas tem texto na lombada.




Comentários (0 comentários)

Deixe seu comentário:

Nome

Email (não será publicado na página)

Comentário

SEGURANÇA

FORMAS DE PAGAMENTO

Boleto Bancário Itaú Transferência online Banco do Brasil Transferência online Bradesco Transferência online Itaú Cartão Visa Cartão MasterCard Cartão American Express Cartão Diners Cartão Hipercard
Todo o conteúdo dos livros é de exclusiva responsabilidade de seus autores, sem nenhum tipo de responsabilidade editorial da AgBook, responsável unicamente pela comercialização e entrega.